Efeitos da Ingestão do Chá Verde (Camellia sinensis) Sobre Parâmetros do Perfil Lipídico: uma Revisão Integrativa

Autores

  • Thamires de Carvalho Mendes Universidade Federal do Piauí, Pós-Graduação em Nutrição Clínica, Esportiva e Fitoterapia. PI, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-0974-2583
  • Tamires da Cunha Soares Universidade Federal do Piauí, Programa de Pós-Graduação em Alimentos e Nutrição. PI, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.17921/1415-6938.2021v25n3p302-308

Resumo

A dislipidemia é um distúrbio metabólico que afeta a homeostase  lipídica no organismo, sendo considerado o principal fator de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Pesquisadores têm buscado compreender de que forma o consumo de fitoterápicos ricos em compostos antioxidantes e anti-inflamatórios, a exemplo do chá verde, podem atuar sobre o metabolismo lipídico. Objetivou-se realizar uma revisão integrativa, que reúna achados científicos a respeito dos efeitos do consumo de chá verde (Camellia sinensis) sobre o perfil lipídico. A busca bibliográfica ocorreu na base de dados Medline/PUBMED, assim como no Portal Regional da Biblioteca Virtual de Saúde (BVS), utilizando os descritores: “Camellia sinensis”, “chá verde”, “perfil lipídico”, “catequinas”, “flavonoides”, “lipídeos”, “dislipidemias” e “hiperlipidemias”, além de seus correspondentes na Língua Inglesa. Foram selecionados dez artigos que abordavam pesquisas sobre os efeitos metabólicos do consumo do chá verde em indivíduos saudáveis ou acometidos de patologias. A suplementação do fitoterápico mostrou reduzir parâmetros do perfil lipídico, como: colesterol total, triacilgliceróis, LDL-c, além de aumentar o HDL-c sanguíneos. Ademais, o chá verde também contribuiu, indiretamente, para o controle da homeostase lipídica, pois esteve associado à mitigação do peso corporal, IMC, estresse oxidativo, inflamação e peroxidação lipídica. É necessária a realização de estudos que esclareçam melhor a participação dos compostos bioativos presentes no chá verde no metabolismo lipídico, em âmbito molecular, e que busquem compreender quais as repercussões do consumo desse fitoterápico em longo prazo.

 

Palavras-chave: Fitoterapia. Camellia sinensis. Metabolismo. Lipídeos.

 

Abstract

Dyslipidemia is a metabolic disorder that affects lipid homeostasis in the organism, being considered the main risk factor for the development of cardiovascular diseases. Researchers have sought to understand how the f herbal medicines consumption rich in antioxidant and anti-inflammatory compounds, such as green tea, can act on lipid metabolism. The objective was to carry out a systematic review that brings together scientific findings regarding the effects of green tea consumption (Camellia sinensis) on the lipid profile. The bibliographic search occurred in the Medline / PUBMED database, as well as in the Regional Portal of the Virtual Health Library (VHL), using the descriptors “Camellia sinensis”, “green tea”, “lipid profile”, “catechins”, “flavonoids”,“ Lipids ”,“ dyslipidemias” and “hyperlipidemias”, including their English counterparts. Ten articles were selected that addressed research on the metabolic effects of green tea consumption in healthy individuals or those with pathologies. Herbal supplementation has  shown to reduce lipid profile parameters such as total cholesterol, triacylglycerols, LDL-c, in addition to increasing blood HDL-c. Moreover, green tea also indirectly contributed to the  lipid homeostasis control, as it has been associated with the reduction of body weight, BMI, oxidative stress, inflammation and lipid peroxidation. It is necessary to carry out studies that better clarify the  bioactive compounds participation present in green tea on lipid metabolism at the molecular level and that seek to understand the repercussions of the consumption of this herbal medicine in the long term.

 

Keywords: Phytotherapy. Camellia sinensis. Lipid Metabolism. Lipids.

Downloads

Publicado

2021-09-29

Edição

Seção

Artigos