Ocorrência de Óbitos por Agrotóxicos no IML de Cuiabá, entre 2010 e 2017

Autores

  • Vander Fernandes Universidade de Cuiabá, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ambiente e Saúde. MT, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-0505-473X
  • Aline Bruehmueller Ale Universidade de Cuiabá, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ambiente e Saúde. MT, Brasil.
  • Tássia Moraes de Assis Damasceno Universidade de Cuiabá, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ambiente e Saúde. MT, Brasil.
  • Cristhiane Almeida Leite da Silva Universidade de Cuiabá, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ambiente e Saúde. MT, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.17921/1415-6938.2021v25n3p315-%20321

Resumo

Pesquisa desenvolvida com o objetivo de caracterizar o perfil sociodemográfico e antropológico das vítimas fatais de intoxicação por agrotóxicos, necropsiadas no IML de Cuiabá nos anos de 2010 a 2017, correlacionando a existência de subnotificação dos casos e o uso excessivo dos agrotóxicos no Estado de Mato Grosso. Foram analisados 32 laudos de necropsia e seus respectivos exames toxicológicos. Os resultados mostram que não houve diferença em relação ao sexo e que a faixa etária entre os 20 a 49 anos foi a mais acometida (71,88%). Foi maior o número de intoxicações em solteiros (65,63%), pardos (56,25%) e profissionais do Lar (18,75%). A via digestiva (71,88%) foi responsável pelo maior número de intoxicações. Maioria dos óbitos foi de causa suicida (43,75%), seguidos por acidental (12,50%) e homicida (6,25%). O trabalho agrícola não foi apontado, neste estudo, como fator determinante para morte por intoxicações. Os agrotóxicos da classe dos inseticidas foram identificados em 15,64% das amostras. Cerca de 84,38% das vítimas, receberam atendimento médico prévio ao óbito. Os resultados encontrados no estudo podem contribuir como instrumento norteador às questões relacionadas ao planejamento das ações em saúde frente à utilização dos agrotóxicos, principalmente, com o objetivo de restringir o acesso indiscriminado a estes venenos.

 

Palavras-chave: Agrotóxico. Intoxicação. Óbito.

 

Abstract

 Research developed with the aim of characterizing the socio-demographic and anthropological profile of fatal victims of pesticide poisoning, necropsied at the IML in Cuiabá in the years from 2010 to 2017, correlating the existence of underreporting of cases and the overuse of pesticides in the state of Mato Grosso. 32 necropsy reports and their respective toxicological exams were analyzed. The results show that there was no difference in relation to sex and that the age group between 20 to 49 years was the most affected (71.88%). There was a greater number of intoxications in single (65.63%), brown  (56.25%) and home professionals (18.75%). The digestive tract (71.88%) was responsible for the largest number of intoxications. Most deaths were suicidal (43.75%), followed by accidental (12.50%) and homicidal (6.25%). Agricultural work was not identified in this study as a determining factor for poisoning death. Pesticides of the insecticide class were identified in 15.64% of the samples. About 84.38% of the victims received medical care prior to death. The results found in the study can contribute as a guiding instrument to issues related to the planning of health actions regarding the use of pesticides, mainly with the objective of restricting indiscriminate access to such poisons.

 

Keywords: Pesticide. Intoxication. Death.

Downloads

Publicado

2021-09-29

Edição

Seção

Artigos