Relação entre Funcionalidade e Medo de Cair em Idosas

Autores

  • Caroline Araújo Guedes Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. BA, Brasil.
  • Claudineia Matos de Araújo Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. BA, Brasil.
  • Cláudio Henrique Meira Mascarenhas Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. BA, Brasil.
  • Marcos Henrique Fernandes Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. BA, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.17921/1415-6938.2022v26n1p19-25

Resumo

O envelhecimento humano é fisiológico e traz alterações da força muscular, mobilidade e equilíbrio, o que pode conduzir ao risco de quedas. Nesse contexto, o medo de cair é desenvolvido como uma forma de proteção, que conduz o idoso ao sedentarismo e ao isolamento social, podendo comprometer a funcionalidade e a independência desse indivíduo. O objetivo do presente estudo foi identificar a relação entre a funcionalidade e o medo de cair em idosas participantes de grupos de convivência. Trata-se de um estudo analítico com delineamento transversal e abordagem quantitativa, realizado nos salões de reuniões dos grupos de convivência no município de Jequié-BA. Participaram da pesquisa 71 idosas cadastradas no Grupos de Convivência e Universidade Aberta com a Terceira Idade (AGRUTTI). Foi aplicado um questionário próprio para a coleta dos dados sociodemográficos e situação de saúde, o Falls Efficacy Scale - International (FES-I-BRASIL) que avaliou o medo de cair. Para avaliação da funcionalidade foram utilizados Timed up and Go Test (TUGT), teste de sentar e levantar e teste de caminhada de 6m. As análises realizadas não observaram relação estatística significativa entre a funcionalidade e o medo de cair. No entanto, foi observado alta razão de prevalência do medo de cair em idosas que apresentaram médio risco de quedas (RP=1,29), média força de membros inferiores (RP=1,22) e média capacidade de locomoção (RP=1,30). Dessa forma, o medo de cair pode afetar variáveis associadas a funcionalidade, conduzir ao isolamento social e comprometer a independência funcional da pessoa idosa.

 

Palavras-chave: Envelhecimento. Desempenho Físico Funcional. Idosos. Acidentes por Quedas. Medo.

 

Abstract

Human aging is physiological and brings about changes in muscle strength, mobility and balance which can lead to the risk of falls. In this context, the fear of falling is developed as a form of protection, which leads the elderly to a sedentary lifestyle and social isolation, which may compromise the functionality and independence of that individual. The aim of the present study was to identify a relationship between functionality and fear of falling in elderly participants in social groups. This is an analytical study with a cross-sectional design and a quantitative approach, carried out in the meeting rooms of social groups in the municipality of Jequié-BA. The study included 71 elderly women registered in the Living Groups and Open University with the Elderly (AGRUTTI). A specific questionnaire was developed for the collection of sociodemographic data and health status, the Falls Efficacy Scale - International (FES-I-BRAZIL), which assessed the fear of falling. Timed up and Go Test (TUGT), sit and stand test and 6m walk test were used to assess functionality. The analyzes performed did not observe a statistical relationship between functionality and fear of falling. However, a high prevalence rate of fear of falling was observed in elderly women who added medium risk of falls (PR = 1.29), medium strength of lower limbs (PR = 1.22) and average walking capacity (PR = 1 , 30). Thus, the fear of falling may affect variables associated with functionality, lead to social isolation and compromise the functional independence of the elderly person.

 

Keywords: Aging. Functional Physical Performance. Seniors. Accidents Due to Falls. Fear.

Downloads

Publicado

2022-03-30

Edição

Seção

Artigos